Ginjal e Lisboa

Ginjal e Lisboa

23 junho, 2011

Esta mulher no centro do corpo traz uma ilha

Sou uma mulher por vezes numa ilha só minha. Sou uma mulher com muitas ilhas dentro de mim.

E tu como me vês?

Decerto não num templo. Sou muito terrena, demasiado profana.

Apenas o amor tenho como sagrado mas não isolado num templo no centro de uma ilha.

No Ginjal, ao cair da noite, mulher junto ao Tejo, contempla Lisboa

Esta mulher
no centro
do corpo traz uma ilha

Esta mulher
um templo
no centro da sua ilha

Esta mulher
o centro
já do templo não da ilha

Esta mulher
oh templo
de tudo na minha vida


('Esta mulher' de David Mourão-Ferreira in 'A arte de amar')

2 comentários:

  1. mulheres, templos de amor.

    ResponderEliminar
  2. Entre outras características, assim se devem sentir, assim devem ser vistas.

    ResponderEliminar